Volume do setor de serviços cai 3,5% em agosto, diz IBGE

Os segmentos de transportes, serviços profissionais e os prestados às famílias recuaram e puxaram para baixo o volume do setor de serviços do país em agosto, quando registrou queda de 3,5% em relação ao mesmo mês de 2014. Em julho, o recuo do indicador havia sido ainda maior, de 4,2% e, em junho, de 2,2%. No ano, a baixa acumulada é de 2,6% e, em 12 meses, de 1,1%.

É o pior agosto da série da pesquisa, que foi iniciada em janeiro 2012. Os números foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (15).

Essa é a primeira vez em que o IBGE divulga os índices referentes a volume. Até julho, era divulgada apenas a receita. Conforme explicou o técnico da coordenação de serviços e comércio do IBGE Roberto Saldanha, o volume de serviços é a receita de serviços descontada a inflação.

“Tivemos 2012, 2013, e até 2014, tivemos crescimento satisfatório da economia, demanda razoavelmente aquecida tanto no setor indústria quanto comercial. E isso deu ao setor de serviços crescimentos reais, acima da inflação. A partir de meados de 2014 se observa então, crescimentos menores, até ter variações negativas em 2015”, analisou Roberto Saldanha.

De acordo com ele, contribuíram para essa retração a queda do poder aquisit