Desequilíbrio entre exportação e importação em contêineres pressiona fretes, diz Maersk

A relação entre o volume de cargas exportadas e importadas pelo Brasil dentro de contêineres inverteu-se com a crise econômica e o câmbio e já pressiona as margens de lucro das empresas que operam rotas marítimas no país, podendo gerar aumento de tarifas cobradas de companhias brasileiras que vendem seus produtos no exterior.


A constatação, que mostra agora o Brasil exportando mais do que importando em contêineres, é de um relatório setorial divulgado nesta quinta-feira pela Maersk Line, maior empresa global de transporte marítimo de contêineres.

"Como está faltando contêineres no Brasil, estamos tendo que trazer contêineres vazios, e isso é custo maior para as empresas. A tendência é haver um aumento no frete para a exportação", projetou o diretor de Trade da Maersk Line no Brasil, João Momesso, em entrevista à Reuters.